segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A solidão é um bem a ser cultivado...

     Da arte de estar sozinho, aprendo eu , comigo, no universo entre uma palavra minha e a escuta em silêncio de um alheio que sou eu de uma perspectiva diferente. Cultura de solidão, raízes no ar, sementes em mim, flores sem espinhos e caminhos sem fim. A eternidade se esconde na solidão das pequenas coisas.
     Os tons que se harmonizam no silêncio, as cores que concordam no escuro, as idéias que se encontram na solidão. É mais que espaço, é expansão. Liberdade escrita como verbo que conjuga a vida à luz da regência de um estado de plenitude. O encontro consigo mesmo como o encontro com a cara metade.   
     Os grandes livros, as grandes sinfonias... A imortalidade reside a duas quadras da solidão. A chave para dividir-se com o mundo está em concentrar-se em si mesmo. Não se trata de egoísmo ou misantropia, mas quem sabe, um altruísmo extremo ao construir nos espaços da solidão aquilo que pode dar sentido aos adjetivos belo ou genial. A escrita é artesanal. Não conheço arrendamento de palavras, conheço plágio e citação. É preciso reconhecer o monólito em uma idéia, sentimento, experiência e saber esculpir as palavras que ganharam um novo sentido à cada novo leitor. Leitura se faz sozinho, televisão se assiste em grupo. Solidão é vida, criação. A dúvida surge em silêncio, as respostas se ouvem em coros.
     O tempo que se passa sozinho é aprendizado, é como ter a possibilidade de se colocar a existência diante de um espelho. Não que a companhia das multidões e um milhão de amigos(para cada um me dar um real) seja uma coisa ruim. O fato é que família, amigos e amores ajudam na “caminhada da vida”. No entanto, a solidão é asas para uma vida livre. Dívidas só com a superação de si e dúvidas que não demandam respostas por imperativos alheios. É centrar-se e ter novas diretrizes para um horizonte construído à cada novo sonho. Solidão comporta todo o entendimento. É preciso estar em paz consigo mesmo para ousar um acordo com o mundo. Paz no sentido de harmonia, porque a guerra é ímpeto de movimento e este abre portas para a superação de paradigmas e portanto, crescimento.








6 comentários:

  1. Olha, eu vou destacar alguns trechos... ok?

    "Cultura de solidão, raízes no ar, sementes em mim, flores sem espinhos e caminhos sem fim."

    - Que bonito!!! Dava um samba, hein? (risos)

    "A chave para dividir-se com o mundo está em concentrar-se em si mesmo."

    - Lá embaixo eu comento.

    "O tempo que se passa sozinho é aprendizado, é como ter a possibilidade de se colocar a existência diante de um espelho."

    - Pronto. Tá aí uma coisa que eu sei, mas
    ainda não consigo expressar bem. Mas, aí
    os dias vão passando e eu vou aprendendo.

    "É preciso estar em paz consigo mesmo para ousar um acordo com o mundo."

    - Aqui embaixo eu comento.



    É isso aí! Você arrebentou em tudo.
    E, ah! Lembrei de uma frase ao ler este
    teu texto, mas não tenho ela de cabeça.
    A idéia é mais ou menos essa... amar e
    compreender a si para ter a capacidade
    de amar o próximo/ interagir bem com
    o mundo em geral. E a medida de amar?
    É amar sem medida. =)

    Valeu, Hilário!
    Legal demais ler o seu texto como o
    primeiro dessa manhã de terça-feira. ;*

    ResponderExcluir
  2. "O tempo que se passa sozinho é aprendizado, é como ter a possibilidade de se colocar a existência diante de um espelho."

    Justamente,uma coisa que também sei mas não consigo expor com facilidade =T
    Mas como diz a moça ai de cima,os dias passam e a gente aprende.

    Ah,primeiro texto da manhã também(risos)

    ResponderExcluir
  3. "A escrita é ARTEsanal". Parabéns pelo dom! Seu estilo tem sido diferente, né? E tenho gostado muito!

    PS1: Se me viu no trânsito nesses últimos dois dias, certamente me viu estressada!

    PS2: Sei que o blogspot do mal faz isso... Uma pena pros dois! Você não escreveu o que eu adoraria ter lido...

    PS3: Não tenho tido nenhum contato mais próximo com esse tal de alemão com bigodinho engraçado não... De qualquer forma, espero que tenha dito isso por causa do ímpeto que provoquei em você, e não por outra coisa. =]

    ResponderExcluir
  4. Caramba, eu tô pensando aqui faz uns minutos e não consigo escolher nada pra colocar entre aspas ó... posso colocar o texto todo?

    Solidão, entedimento, crescimento, harmonização, construção... Eu sempre quis aprender, nunca consegui. Ou então consegui e nunca percebi.

    Eu sei que vez por outra eu tiro um tempo pra mim e sempre volto (de lugar nenhum ou de mim mesmo) bem melhor.

    E, demais, o texto tá muito bom mesmo.
    Se garantiu demais!
    Abraço!
    =]

    ResponderExcluir
  5. Solidão parece o sentimento do nosso tempo. Eu sinto em varias ocasiões, ainda que a casa esteja cheia,ainda que eu sorria,ainda que converse com muitos ao mesmo tempo.Tem hora que serve pra você pensar,refletir,sonhar,aprofundar...Mas,há ocasiões que se revela nas palavras de Oswaldo Montenegro ...que vc jura que não vai agüentar, que é carga demais, solidão que vc jura por Deus que não merecia.

    ResponderExcluir

Rupturas no silêncio...