segunda-feira, 28 de outubro de 2013




Você que leva a sério as minhas piadas
mas não acredita quando eu falo sério
Você que leva pro lado pessoal
o que eu falo sobre o abstrato
E faz de conta que não é com você
quando eu chamo pelo seu nome
Você que não me liga, mas sempre atende
quando eu digo que não foi nada
e você sabe quase tudo



Quando a saudade se perde
na iminência do não
mesmo que eu tenha perdido cada
em que não te arrisquei um sim
quando as possibilidades caminham para o silêncio
E o benefício da dúvida
nutre uma certeza pelo não
Queria ter sido outro em meu passado
queria de volta o meu presente
queria pensar que o futuro
ainda se faria diferente
queria acreditar que a história
seria a mesma com a gente
queria um verso que me narrasse
em uma estória que eu te encontrasse





3 comentários:

  1. O 1º paragrafo me descreve, em 2006

    {Vallessya Matos}

    ResponderExcluir
  2. Tão bom te ler...


    (...)


    ResponderExcluir
  3. "queria um verso que me narrasse
    em uma estória que eu te encontrasse"

    tem um monte de estórias que te contam, Hilário...

    ResponderExcluir

Rupturas no silêncio...