sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Pérola

Enfim a solidão me deixou viver
Largou-me à contemplação do meu não mais sofrer
E agora sustento-me ao seu sorriso
Em meu dias, meu vício
eternamente se traduz a você

E és tão bela
beleza esperta que recobre o amor
E és tão minha
mergulhando-me ao meu esplendor
que é o amor...

Singular em meus reais pensamentos
Nunca ausente um só momento
Nos versos do meu coração

E és tão bela
beleza esperta que recobre o amor
E és tão minha
mergulhando-me ao meu esplendor
que é o amor...




                Houve um tempo em que fui adolescente antes de perceber que eu ainda sou criança e que as músicas eram canções que a gente mesmo escrevia e gravava em fita K7 porque não confiava guardar na memória. Uns 10 anos depois  as fitas se perderam junto com alguns sonhos, mas algumas memórias ficam, como se ousassem ter a pretensão de se ser imortal...

Letra e música: WGabriel Oliveira(eu mudei só umas duas palavras nos últimos versos)
Do tempo que ele carregava os adjetivos“literato, poeta...” Eu era só o “amigo do poeta”, quase  Sancho e Quixote em contos por amor às causas perdidas...
Arranjo: Hilário Ferreira
(a música com melodia pronta nasceu com um violão de nylon.
Um dia o nylon virou aço.Eu sempre a imaginei com um piano também e aí acrescentei tais teclinhas. Os teclados foram espontâneos junto com o backing vocal no refrão, o baixo tinha a companhia de uma bateria que ficou inviável de ser gravada. As guitarras foram escritas depois de brincar de estudar os modos gregos. A voz ficou mais rouca, mais velha, mais alérgica e fora de forma, um dia eu canto “Voltei a cantar...”)










“E quem sabe um dia eu escrevo uma canção pra você...”











video







4 comentários:

  1. Foi bom lembrar os tempos de fita k7. Quando criança eu gravava alguns versinhos. Pensei que só eu tivesse feito isso. Que tolinha! Coisa que eu não ouso fazer adolescente. Deixa a música pra quem entende, né. A letra da música ficou linda mesmo.

    Ah, não sei se era para parecer assim, mas no começo da música parece que o violão e o teclado pertenciam a músicas diferentes e você juntou numa coisa só.

    Como boa babona que sou, acho que a música ficaria melhor na voz da camilla e da naiana.
    rsrs

    Brincadeiras a parte, tá tudo maravilhoso.
    Menino talentoso!

    ResponderExcluir
  2. Pra não ficar parecendo que sou uma namorada babona, deixei alguém escrever antes! =P
    Você sabe o quanto sou encantada com seus (muitos) dons! É tão bonito tudo que tu faz, que sempre merece ser mostrado aqui.
    Apesar de a música estar bonita, gosto mais da MINHA música! Rá! Tem o som dos violinos! =P

    Beijo
    PS: lembra que tem uma escola de música atrás da minha casa? Dá pra ouvir eles treinando. Isso só reforça teu taleto! heheheheh

    ResponderExcluir
  3. E eu acho que talento é assim, sair do imaginário e partir para o real.
    Quando adolescente e criança passava longe de coisa minha, lia muito os bons. Escrevia tudo mentalmente, sem a menor consciência do que fazia e tudo se perdeu com o tempo.
    Tu tem talento, vários. Com verso, música, prosa e aposto que tantos outros que não conhecemos...
    Um abraço!
    =]

    ResponderExcluir
  4. Lembramos de coisas boas qdo estamos bem..vc tem transmitindo isso em seus últimos escritos...aproveite o momento!

    ResponderExcluir

Rupturas no silêncio...