sábado, 12 de março de 2011

          




-Nada é tão ruim que não possa piorar- dizia o pessimista.
-Não é porque as coisas não estão ótimas que elas não estão boas- dizia o otimista.
O realista, na esquina do silêncio com o não-dito, ratificava com a experiência a máxima de que o otimista nunca tem uma surpresa agradável.

















Ps- E como dizia a Vida (parte dois):  "A expectativa é o primeiro passo para a frustração".








6 comentários:

  1. Olá gostaria que visita se meu blog que é dedicado a cultura. Espero que goste nele tenho uma coluna poética aos sábados ás 09 da manhã espero poder contar com sua visita.

    Sucesso em seu espaço.

    Magno Oliveira
    Twitter: @oliveirasmagno ou twitter/oliveirasmagno
    Telefone: 55 11 61903992
    E-mail oliveira_m_silva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Fui aprender depois de velha que não são as pessoas que nos decepcionam, somos nós que esperamos demais das pessoas...





    [acho que vi isso num pára choque de caminhão]

    ResponderExcluir
  3. Li Pollyana na minha adolescencia..(faz tempo..rsrs)e só depois percebi que aquela criatura era muito chata...muitas vezes é preciso deixar que a contradição se instale nas nossas vidas.

    ResponderExcluir
  4. Viu a reportagem que saiu dizendo que os otimistas vivem mais e melhor? A reportagem é fraquinha, mas o benefício e real.
    http://yahoo.minhavida.com.br/conteudo/13044-Otimismo-aprenda-a-jogar-nesse-time-e-colha-os-beneficios.htm

    Num digo que devamos ser como a Pollyana - citada acima - que era mesmo uma chata, mas essa tua versão do 'realista' é primo do pessimista, né?

    beijo

    ResponderExcluir
  5. ok.. agora uma fonte mais aceitável: http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/8/artigo4420-1.asp

    ResponderExcluir
  6. Princípio da prudência: considera-se os ganhos futuros pelo menor valor possível e as perdas pelo maior valor possível.


    Não vejo pessimismo nisso.

    ResponderExcluir

Rupturas no silêncio...