domingo, 26 de julho de 2009

À fonte





O que quer que eu escreva
onde quer que eu (me) inscreva
quando quer que eu conceba




As palavras
são apenas
um fragmento
de um grão
do reflexo
da imagem
da ponta do iceberg
Que vai à ebulição
em meu peito
que eferve
mergulhado
(e me afogando)
em você





(...)



4 comentários:

  1. É verdade!
    Um é o negativo do outro.

    ResponderExcluir
  2. Você tem razão com essa história do "negativo". Retrato em branco e preto eu gostei mais, principalmente por ser o nome de uma canção.
    É... nesse último texto as palavras não foram tão "brancas" assim... Beijo!

    ResponderExcluir
  3. gostei! produziu que só nessas férias, hein?
    manda notícias tuas quando puder.
    cheiro!

    ResponderExcluir
  4. Falava do meu último texto, que você disse que quase percebeu uma alteração de voz nele. Disse que concordo, as palavras ali não foram tão brancas (como sempre é no meu blog, segundo descoberta sua mesmo... =]). Talvez seriam de uma cor bem escura, mas assim não daria pra ler...

    ResponderExcluir

Rupturas no silêncio...